Graça Morais recebe Grande Prémio da Academia de Belas Artes




Entrevista com Helena Esteves, Antena 1, 15 de Outubro 2013

por Helena Esteves/Sandra Henriques

Graça Morais recebe esta terça-feira o Grande Prémio da Academia Nacional de Belas Artes, uma distinção que foi atribuída por unanimidade e serve para destacar toda uma vida dedicada à criação artística. A pintora sublinha que tem dedicado a sua obra ao mundo que está em agitação e aproveita para criticar as políticas do Governo que atacam os mais velhos.

“É uma vergonha que se está a fazer às pessoas mais velhas, porque os mais velhos são os mais indefesos. As pessoas a partir de uma certa idade não podem procurar trabalho em lado nenhum e o que está a acontecer é tão absurdo e dramático que parece um grande pesadelo”, afirma Graça Morais.

A artista de 65 anos destaca a importância de receber o Grande Prémio da Academia Nacional de Belas Artes, que já distinguiu entre outros os pintores Júlio Pomar, Júlio Resende e Maria Keil.

“Vivemos tempos tão difíceis em que o artista é ignorado pela indiferença de poderes, que o deveriam apoiar e valorizar, e existir uma Academia Nacional de Belas Artes constituída por pessoas extraordinárias que está atenta às obras dos artistas intelectuais neste país é uma resposta luminosa a um mundo tão cheio de sombras”.

“Da terra ao mar”, uma antologia de trabalhos da pintora natural de Vieiro, Trás-os-Montes, pode ser vista até ao final de novembro no Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, em Bragança.

RTP, 15 de Outubro 2013


Graça Morais - Uma Antologia • Da Terra ao Mar - Pintura e Desenho, 1970/2013


A inauguração da exposição Uma Antologia - Da Terra ao Mar - Pintura e Desenho, 1970/2013, de Graça Morais, acontece no próximo dia 30 de Junho, pelas 16h00, no Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, em Bragança, dia em que comemora o seu 5º aniversário.

Às 18h00 debate sobre a obra de Graça Morais com a participação de Raquel Henriques da Silva e Jorge da Costa, com a presença da artista.



Graça Morais - Uma Antologia • Da Terra ao Mar - Pintura e Desenho, 1970/2013

Alicerçada numa gramática pictórica única e inconfundível, a prática artística de Graça Morais tem evoluído, ao logo das últimas quatro décadas, em ciclos sucessivos e bem demarcados, que não só configuram a proficiência das diversas fases que compõem a sua obra, como legitimam a coerência do seu todo.

Com inequívoca expressão no contexto da arte contemporânea portuguesa a partir da década de 1980, Graça Morais desenvolveu, à margem de princípios doutrinários dominantes ou movimentos artísticos transitórios, uma linguagem muito própria, assente em múltiplas derivações formais e em sucessivas deambulações criativas, que, não raras vezes, se sobrepõem, interrompem ou combinam, “como se fossem ou pudessem ser estados de uma obra que não se aceita a si mesma, nunca como um encerramento”.

Na comemoração dos seus cinco anos de existência, o Centro de Arte Contemporânea Graça Morais apresenta, pela primeira vez, em todos os espaços expositivos, reunindo, numa cronologia abrangente e exaustiva, a maior mostra antológica da artista, demarcada entre os trabalhos realizados em 1970, enquanto finalista da Escola Superior de Belas Artes do Porto, e uma intervenção efémera nas paredes de uma das salas, criada especificamente para esta ocasião.

A par de um conjunto significativo de obras que nunca tinham sido expostas até ao momento, capazes de surpreender mesmo aqueles que julgam conhecer bem o trabalho de Graça Morais, integram esta antologia obras emblemáticas de séries como “O Rosto e os Frutos”, “Os Cães”, “Cabo Verde”, “As Escolhidas”, “Geografias do Sagrado”, “Deusas da Montanha”, “Olhos Azuis do Mar” ou “Sombras do Medo”.

Comissário: Jorge da Costa
Produção: Centro de Arte Contemporânea Graça Morais; Câmara Municipal de Bragança


30 de Junho a 30 de Novembro
Centro de Arte Contemporânea Graça Morais
Rua Abílio Beça, 105
5300 – 011 Bragança
Tel. (351) 273 302 410
centro.arte@cm-braganca.pt
Horário: Terça a Domingo 10h00 / 18h30